top of page
  • Foto do escritorVilmar Bueno, o ESPETO

Projeto da Dona Francisca feito na gestão de Magno teve problemas, afirma Tomazini



São Bento do Sul

A Secretaria de Planejamento e Urbanismo e os engenheiros da empresa vencedora da licitação da obra da Estrada Dona Francisca identificaram um problema no projeto de drenagem e, por este motivo, as obras de recuperação do trecho de aproximadamente 1,1 km não puderam ser começadas neste início do mês. O projeto, feito na gestão passada, está sendo refeito pela secretaria para que, então, a empresa possa dar sequência à pavimentação da via.


Conforme o prefeito Antonio Tomazini, por sorte o problema foi identificado agora, antes dos trabalhos começarem. Segundo ele, caso a obra fosse realizada com base no projeto anterior, problemas poderiam surgir no trecho em pouco tempo, danificando o pavimento. "O projeto cujos problemas foram encontrados é o de drenagem da via, elaborado ainda na gestão passada, e agora esta parte está sendo refeita, para que então a obra possa, finalmente, ser realizada e beneficiar a população”, comentou.


O prefeito lamenta mais esta demora, mas diz que todos os esforços têm sido direcionados à resolução do problema. Ele lembra que diversas reuniões ocorreram com a empreiteira vencedora da licitação para fazer os devidos ajustes ao projeto de drenagem para que então a obra possa ser realizada. “Tão logo o novo projeto de drenagem esteja concluído, a Secretaria de Obras terá prioridade para realizar o trabalho e garantir assim, que a empreiteira responsável pela pavimentação possa iniciar com os trabalhos”, disse.


Tomazini lembra que trata-se de uma questão antiga que a Prefeitura tem se esforçado em resolver, pois neste ano completam-se 10 anos da pavimentação do trecho que pouco tempo depois começou a apresentar problemas. O caso ainda tramita na justiça e ao longo deste período, diversos agentes públicos tiveram bens bloqueados. “O que queremos é resolver”, destaca o prefeito.


Ele reforça que objetivo é o de conseguir, enfim, concluir a obra, porém, destaca que a preocupação com a qualidade e durabilidade do trabalho não podem ser deixados de lado. “Se tem mais este erro e o projeto precisa ser refeito, ele será refeito. É muito melhor segurar agora o início da obra para que ela possa ser bem feita, em respeito ao dinheiro público e à população, do que fazer algo que em poucos meses comece a apresentar problemas”, disse.


Boatos - O prefeito Antonio Tomazini ainda desmente boatos de que a obra não iniciou porque a empreiteira pediu aditivo antes mesmo de iniciar os trabalhos. Isso não procede e até esta terça-feira (11), nenhum pedido oficial foi protocolado pela empresa no setor de Compras.


Tomazini também desmente o boato de que o então secretário de Planejamento, Cássio Zschoerper, pediu exoneração porque não quis assinar tal aditivo para a obra. Sua saída deu-se exclusivamente por questões pessoais e profissionais do ex-secretário, que é engenheiro. “Infelizmente, espalham boatos e falam coisas sem saber por aí. Mas a verdade é essa. Não tem aditivo nenhum protocolado pela empresa e a obra não começou porque foi identificado um erro no projeto de drenagem, o qual está sendo refeito”, resume o prefeito.

Comments


bottom of page