top of page
  • Foto do escritorVilmar Bueno, o ESPETO

Mapa do consumo de SC sobe para R$ 370,8 bilhões e maioria das grandes cidades cresce



Pesquisa IPC Maps, que mostra o mapa do consumo de Santa Catarina para 2024, estima um potencial de R$ 270,8 bilhões de gasto das famílias, uma alta nominal de 14,6% frente ao ano anterior. Com isso, o Estado saltou da 7ª para a 6ª posição nacional este ano.  A cidade com maior potencial de consumo é Florianópolis, com R$ 36,9 bilhões e crescimento nominal de 17,2% na comparação com 2023.


Esses são dados da IPC Maps, que há 30 anos calcula os índices de potencial de consumo dos estados e das cidades brasileiras, com base em dados oficiais. Para este ano, o estudo apontou que o potencial de consumo do Brasil está em R$ 7,3 bilhões com crescimento real (descontada a inflação) de 2,5% frente a 2023.


No ranking das cidades de SC, a exemplo de 2023, Joinville ficou em segundo lugar com potencial de consumo de R$ 31,6 bilhões, seguida por Blumenau com R$ 21,7 bilhões, São José R$ 16 bilhões e Itajaí R$ 12,9 bilhões. Completam a lista das 10 cidades com maior potencial de consumo em SC Chapecó, Palhoça, Criciúma, Jaraguá do Sul e Balneário Camboriú.


Cidades de SC: potencial de consumo e variação no ranking nacional:

A pesquisa IPC Maps 2024 mostra o potencial de dinheiro em circulação, abertura de empresas e as tendências de maiores gastos das famílias. Santa Catarina, no ano passado, teve potencial de consumo de R$ 323,6 bilhões e somou 1.111.665 empresas. Para este ano, tem o potencial de consumo de R$ 370,8 bilhões e 1.249.426 empresas, 12,4% mais.

A capital catarinense, que teve alta de 17,2% no potencial de consumo, também avançou no número de empresas. Em 2024, chegou a 129.926 CNPJs, 13,2% mais que no ano anterior, quando teve potencial de consumo de R$ 31,5 bilhões.


De acordo com Marcos Pazzini, sócio da IPC Marketing Editora e responsável pelo estudo, o fechamento desse levantamento foi realizado antes da tragédia que aconteceu no Rio Grande do Sul. Por isso, não há como prever o cenário para as cidades atingidas e o impacto dessas chuvas em outros estados, especialmente da região.


Considerando os dados gerais da pesquisa nacional sobre hábitos de consumo, Marcos Pazzini chama a atenção para a elevada despesa das famílias com veículo próprio, que na média chega a comprometer 12,5 do orçamento familiar. Isso vem desde a pandemia, em 2020, que aqueceu o setor de veículos para transporte de entrega, aplicativos e compra do carro próprio.


Maiores potenciais de consumo em SC

De acordo com o IPC Maps, o potencial de consumo nas cidades catarinenses este ano é de R$ 333,4 bilhões e na área rural, de R$ 37,4 bilhões. Considerando as maiores despesas das famílias no Estado, as de habitação lideram com potencial de consumo de R$ 79,6 bilhões este ano.


Em segundo lugar ficou veículo próprio, com R$ 52,7 bilhões, seguido por alimentação no lar com R$ 30,5 bilhões. Na sequência, vem material de construção com R$ 13,7 bilhões, alimentação fora de casa com R$ 13,5 bilhões e medicamentos R$ 10,7 bilhões.

Fonte: NSC



Yorumlar


bottom of page